Publicidade

Posts com a Tag serasa experian

terça-feira, 14 de junho de 2011 COMO FAZER, Crédito, Dívidas, Família, Planejamento financeiro | 19:31

Três medidas para começar a colocar as contas em ordem e fugir do endividamento

Compartilhe: Twitter

A inadimplência do consumidor subiu 8,2% em maio na comparação com abril, segundo pesquisa do bureau de crédito Serasa Experian divulgada hoje.

Quem está no vermelho pode aproveitar as seguintes dicas dos especialistas para recolocar o orçamento nos trilhos:

 1 – Anotar, durante um mês, todas as despesas da casa
Sim, dá trabalho. Mas, se não souber exatamente para onde cada tostão está indo, o consumidor não consegue identificar os excessos. Somados, pequenos gastos como o cafezinho no meio do dia e a pipoca com refrigerante no cinema fazem muito volume no final do mês e podem representar a diferença entre fechar ou não as contas.
“Freqüentemente, as famílias não têm noção da sua situação verdadeira, apenas vão gastando o dinheiro conforme pinga na conta. Vislumbrar o cenário em seus detalhes já é suficiente para que uma grande parte delas consiga se reorganizar”, diz Caio Fragata Torralvo, consultor da empresa de planejamento financeiro Finplan.

2 – Analisar o peso das dívidas contraídas
O rotativo do cartão de crédito, o carnezinho da loja, a prestação do carro, o cheque especial, o pré-datado… Juros demais, que vão corroendo a renda até esfacelarem-na. Antes que os financiamentos –muito úteis e essenciais à realização de projetos quando bem utilizados– virem uma armadilha, uma ideia interessante é trocar todas as parcelas por uma só, de um consignado ou empréstimo pessoal com taxas mais baixas e prazo maior. Fica muito mais fácil de controlar assim.

3 – Entender os débitos como responsabilidade a ser assumida por toda a família
É comum que o crédito seja tomado somente no nome do pai ou da mãe. “Aí, em uma boa conversa com os filhos e demais agregados, divide-se o ônus”, ensina Dora Ramos, da consultoria Fharos. “Quem trabalha pode contribuir para quitar uma parte dos encargos. E cada membro deve fazer a sua parte na economia emergencial necessária para sair do buraco.”

Continue lendo sobre crédito:

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 Sem categoria | 05:59

Limpe o seu nome para as compras de final de ano

Compartilhe: Twitter

Quem está com alguma dívida atrasada não vai conseguir crédito para adquirir os presentes de Natal.

Regularizar a situação a tempo de aproveitar a grande temporada de consumo pede uma estratégia eficiente. As recomendações dos especialistas são:

1 – Tomar pé do problema
É essencial saber exatamente quanto e para quem se deve. Procurando o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) ou a Serasa Experian, por exemplo, consegue-se um levantamento completo das pendências. Contas sobre as quais incidam juros maiores, como o cheque especial e o cartão de crédito, devem ser prioridade.

2 – Avaliar qual é o volume de recursos disponíveis para usar no pagamento
Na somatória de esforços para tentar liquidar os débitos à vista, devem entrar verbas extras, como o 13º. salário e o adicional de férias. Se esses montantes não forem suficientes para quitar os débitos, é preciso analisar o tamanho de parcelas que cabem no orçamento regular da família –o ideal é não ultrapassar 30% da renda. “Cuidado com a empolgação para voltar a comprar. Não adianta assumir uma prestação que não será possível honrar depois”, frisa Roseli Garcia, superintendente de produtos e serviços da ACSP (Associação Comercial de São Paulo).  

3 – Procurar os credores para negociar
Demonstrar vontade de saldar os débitos é a primeira arma a ser empregada. Aí, é necessário estudar os valores junto com a loja ou o banco e pedir boas condições para o acerto, como descontos das penalidades cobradas. Interessa muito que o devedor liquide as pendências e volte a gastar, mas o comerciante ou a instituição financeira podem endurecer a fim de receber os montantes totais. “O consumidor tem que ser persistente e mostrar que a quitação do principal já é favorável para a empresa, a qual limpa a sua carteira de inadimplência e fica com dinheiro no caixa. Pode-se argumentar, também, que os encargos e as taxas estabelecidas são abusivos”, ensina Ione Amorim, economista do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor). A lei permite a aplicação de uma multa de no máximo 2%, correção monetária e juros que não ultrapassem 1% ao mês.

O prazo para que o nome do consumidor seja retirado dos cadastros de inadimplentes é de cinco dias úteis a partir do acordo.

Não havendo conciliação, a saída é buscar o Procon do seu Estado ou um advogado. Quanto mais rápido se resolve a pendenga, melhor, porque os juros cobrados pelo atraso costumam ser bem altos.

SAIBA MAIS:
Prepare-se já para as despesas de final de ano
13. ajudará a segurar a inadimplência nos próximos meses
Funcionário pode reorganizar sua vida financeira com a ajuda da empresa

LEIA MAIS:
Cada brasileiro vai pagar R$ 1 mil a mais de impostos em 2010
À vista uma redução dos preços dos imóveis em São Paulo?
Montadoras são obrigadas a oferecer conserto de recall para sempre
A hora certa de vender uma ação
O que o jovem precisa saber antes de sair da casa dos pais

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 18 de outubro de 2010 Bancos, Comportamento, Consumo, Dívidas, Planejamento financeiro | 12:03

13º ajudará a segurar a inadimplência nos próximos meses

Compartilhe: Twitter

Na semana passada, foram divulgados números sobre inadimplência do consumidor preocupantes: os atrasos no pagamento de compromissos cresceram 1,6% em setembro, a maior alta para esse mês desde 2000, quando o indicador foi criado pela empresa de análise de crédito Serasa Experian.

Mas a perspectiva para os próximos meses é um tanto tranqüilizadora, devido ao 13º. salário. “O consumidor sempre usa uma parte dessa receita extra –a primeira parcela, que é paga em novembro, por exemplo– para quitar as suas dívidas”, explica Luiz Rabi, gerente de indicadores de mercado da Serasa Experian.

Os acertos fazem parte da preparação para o Natal, pois não é possível obter crédito para novas compras sem acabar com pendências antigas.

E a situação da inadimplência depois de fevereiro vai depender justamente do comportamento do brasileiro durante o final do ano. Parcelamentos excessivos podem criar um grande problema em março, quando o orçamento já fica pesado por obrigações como o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), a aquisição de material e o saldo das férias no cartão de crédito.

LEIA MAIS:
Montadoras são obrigadas a oferecer conserto de recall para sempre
Saiba escolher o seguro certo para sua casa ou apartamento
A hora certa de vender uma ação
O que o jovem precisa saber antes de sair da casa dos pais

NOTÍCIAS NO iG:
Serasa prevê inadimplência estável até início do ano que vem

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,