Publicidade

Posts com a Tag volta às aulas

quarta-feira, 29 de junho de 2011 Crianças, Direitos do consumidor, Educação, Família | 17:12

Na matrícula escolar, preste atenção às cláusulas sobre cancelamento

Compartilhe: Twitter

O entusiasmo de investir no curso de idiomas das crianças, em uma faculdade ou na sonhada pós-graduação pode dar lugar a um grande aborrecimento se por algum motivo é necessário cancelar a participação posteriormente.

Com freqüência, as instituições de ensino estabelecem condições injustas –e ilegais– para a desistência.

Por isso, antes de fazer a matrícula, é essencial tomar alguns cuidados.

Primeiro, claro, ler o contrato em todos os detalhes. “Trata-se de um acordo de adesão, ou seja, vem pronto, segue um modelo adotado pela escola, não é negociado individualmente entre as partes”, explica Ricardo Castilho, pós-doutor e diretor-presidente da Escola Paulista de Direito. “Mas há cláusulas que são consideradas abusivas, e, por isso, nulas ou anuláveis mesmo que o documento tenha sido assinado.”

A relação entre o aluno ou seu representante e o estabelcimento de ensino é tida como de consumo, portanto fica regida pelo Código de Defesa do Consumidor.

É direito do estudante, de acordo com as regras, rescindir a prestação de serviço a qualquer tempo, sem informar um motivo. No entanto, as empresas também necessitam de uma segurança mínima para planejar a sua estrutura.

Então, as parcelas até o mês em que é solicitada a interrupção são devidas e precisam ser pagas. A multa pela quebra não pode superar 10% do valor proporcional ao tempo restante do curso. Montantes já desembolsados são restituídos, com o desconto da penalidade.

“Caso encontre alguma irregularidade ou se ache injustiçado, o estudante tem que procurar o Procon ou o Ministério Público do Consumidor e fazer uma reclamação”, explica Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da ProTeste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).

Alunos inadimplentes não devem ser proibidos de assistir às aulas pelo restante do período (semestre ou ano, dependendo do caso), e à instituição cabe impedir a sua matrícula pelo termo seguinte.

Continue lendo sobre educação na coluna Seu Dinheiro:

Autor: Tags:

segunda-feira, 2 de agosto de 2010 Comportamento, Consumo, Crianças, Educação, Educação Financeira, Supermercado | 11:56

Dicas para os pais que mandam de casa o lanche escolar

Compartilhe: Twitter

O planejamento da merenda que é elaborada em casa deve começar com uma conversa sobre as preferências da criançada, mas é melhor evitar levá-las ao supermercado para não se desviar da lista feita previamente.

Para ter uma noção exata de quanto se gasta com o lanche, os especialistas recomendam fazer uma relação separada dos itens que serão mandados para a escola. Assim, há condições de fazer ajustes quando necessário.

Embora práticas, as embalagens pequenas são menos econômicas –comprar as grandes e dividi-las usando papel alumínio ou recipientes de plástico é mais vantajoso.

Na hora de selecionar os produtos nas prateleiras, além da etiqueta de preço deve-se consultar com cuidado as informações nutricionais dos alimentos.

“Os integrais são sempre superiores, apesar de um pouco mais caros. Quando se está discutindo a alimentação da criança e do adolescente, no entanto, vale a pena o investimento para que o estudante se desenvolva com plenitude e tenha energia para se dedicar às aulas”, diz Rosane Nascimento, presidente do Conselho Federal de Nutricionistas.

SAIBA MAIS:
Merenda escolar: mandar de casa ou dar o dinheiro?
Dicas para quem prefere dar o dinheiro da merenda para a criança

Autor: Tags: , , ,

Comportamento, Consumo, Crianças, Educação, Educação Financeira | 11:55

Dicas para quem prefere dar o dinheiro da merenda para a criança

Compartilhe: Twitter

Quando fazem a opção por deixar que o estudante compre o lanche na cantina da escola, os pais devem ter certeza de que o filho é maduro o suficiente para cuidar do dinheiro. Crianças muito pequenas podem até perder as notas e moedas, lembram os especialistas.

Essa verba deve ser específica para a merenda, separada de outros recursos que o estudante receba, e dada diariamente.

Uma pesquisa dos preços praticados na escola é o parâmetro para as quantias a serem entregues. “Os pais vivem em um mundo de custos altos e às vezes não têm noção de valores, acabam exagerando”, diz a educadora financeira Cássia D’Aquino. “A visita à cantina pode inclusive ser realizada junto com os estudantes, abrindo espaço para uma discussão a respeito de quais alimentos devem ser preferidos.” A refeição na escola pode ser complementada com alguns itens enviados de casa, como barras de cereal, iogurtes e bolachas.

Abrir uma conta na escola, a famosa caderneta, é um grande erro, na avaliação dos estudiosos, porque as crianças não possuem conhecimentos sobre crédito. Igualmente, não é uma boa ideia adotar os cartões de débito pré-pagos que alguns estabelecimentos fornecem. “Os pais têm acesso total ao que os filhos estão consumindo. Além de ferir a privacidade do estudante, tira dele a possibilidade de aprender a fazer escolhas e desenvolver a sua autonomia”, frisa Cássia.

De tempos em tempos, recomenda-se reavaliar os valores dados, assim como o peso desses recursos no orçamento da família, para ajustes.

SAIBA MAIS:
Merenda escolar: mandar de casa ou dar o dinheiro?
Dicas para quem manda o lanche escolar de casa

Autor: Tags: , , ,

Comportamento, Consumo, Crianças, Educação, Educação Financeira | 11:54

Merenda escolar: mandar de casa ou dar o dinheiro?

Compartilhe: Twitter

A volta às aulas traz um dilema aos pais dos estudantes: é melhor enviar o lanche de casa ou a opção mais vantajosa é dar à criança ou ao adolescente uma verbinha para que pegue a merenda na cantina da escola?

À parte as questões nutricionais, passa pelo impasse dinheiro versus tempo a solução desse problema.

A opção de comprar o lanche acaba saindo um pouco mais cara, ainda mais quando são vários os filhos. No entanto, essa é uma solução prática para pais que não têm tempo de cuidar da merenda –e deixar que o estudante administre as quantias ajuda a ensiná-lo sobre finanças pessoais.

Aprontar o lanche diariamente em casa pode ser, também, um momento de integração na família e de educação a respeito das propriedades dos alimentos.

Uma terceira alternativa é adotar as duas anteriores juntas, deixando o dinheiro para ocasiões especiais ou então reservando um dia da semana no qual pais e filhos se reúnam em torno da preparação das refeições que serão feitas na escola.

Em todos os casos, é essencial fazer um planejamento mensal ou semanal da merenda.

Quem prefere dar o dinheiro pode ler aqui as orientações dos especialistas.

As dicas para os pais que escolheram mandar o lanche de casa estão aqui.

SAIBA MAIS:
Dicas para quem prefere dar o dinheiro da merenda para a criança
Dicas para quem manda o lanche escolar de casa

Autor: Tags: , , ,